Semana Santa 2017 pelo Grupo Gólgota

A preparação e a realização da Semana Santa é um dos momentos mais intensos e gratificantes para os elementos do Grupo Gólgota, exigindo muitas horas de trabalho e dedicação, tudo para que as encenações dos Últimos Dias de Cristo cheguem ao coração das pessoas com cada vez mais acertado vigor, renovado ânimo e sentida vivência dos Últimos Dias da Vida Terrena de Jesus Cristo.

Este ano, por convite do Pe. Paulo César Pereira Dias de Vila do Conde, com apoio do Município de Vila do Conde e da Santa Casa da Misericórdia, o Grupo Gólgota levou às ruas desta cidade a Via Sacra. Assim, na sexta-feira do dia 7 de Abril desde do Tribunal até à Igreja de Santa Clara, as ruas encheram-se com a população para vivenciar o caminho para o Calvário.

Já na sua XX Edição, a Semana Santa em Santa Maria da Feira, em parceria com a Câmara Municipal da Feira, Feira Viva, e com apoio de outras entidades, entre elas os Passionistas, tem-se tornado ao longo dos anos uma referência para as pessoas de Santa Maria da Feira e não só, trazendo à cidade centenas de pessoas.

No dia 9 de Abril, Domingo de Ramos, desde o largo do Convento dos Lóios até à Igreja dos Passionistas, a “Entrada Triunfal de Jesus em Jerusalém – na “cidade humana” na qual participaram também as crianças da catequese núcleo Passionistas, pudemos acompanhar Jesus à Sua cidade de ‘Jerusalém’.

No dia 12 de Abril, às 21.30h, no largo e jardins do Convento dos Lóios, e pelo quinto ano consecutivo, foi recriada “A Última Ceia, Getsémani e Julgamento no Sinédrio”, cujo ambiente bucólico trouxe um envolvimento único a este momento da vida de Jesus e que marca a vida da Igreja.

Por fim, no dia 14 de Abril, Sexta-feira Santa, o Gólgota trouxe às ruas da cidade, desde a alameda do antigo Tribunal até ao Castelo, a “Via Sacra”, com reflexões ao longo do percurso, associando a oração ao teatro. Este é um dos momentos mais altos das celebrações da Semana Santa, o caminho percorrido por Jesus desde que é condenado à morte por Pôncio Pilatos até ao Calvário e sua sepultura. O sofrimento que Jesus endura em todo este caminho, os insultos do povo mau, o encontro emocionante com sua mãe Maria e as mulheres de Jerusalém, a ajuda de Simão de Cirene a carregar a pesada Cruz, a crucifixão de Jesus, a Sua morte e o recostar no regaço da Mãe depois de O descer da Cruz… Foram momentos que nos permitiram interiorizar a Paixão do Senhor. Mas, tal como Jesus havia dito, “passados três dias hei-de ressuscitar”, a Via Sacra termina com a Sua Ressurreição, convidando-nos à esperança, com a certeza de que Ele vive e nos acompanha.

 

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *