O que fazemos?

A Comunidade do Uíge tem a seu encargo a Paróquia local (Paróquia da Santa Cruz) e promove a formação espiritual, humana e técnica dos habitantes locais (de maneira especial através do Centro Cultural da Santa Cruz). Como comunidade formativa que é, tem a seu encargo 8 seminaristas do 10º ao 12º ano.

Foto de família


Em 14 de Novembro de 1991 partiram, desde Portugal, partir os dois primeiros Missionários Passionistas: Irmão Gabriel Castro do Campo e P.e Albino José da Silva Carneiro’. No dia 22 de Novembro de 1991, chegaram à Missão de Kimbele-Diocese do Uíge (a mais de 600kms ao norte de Luanda) estes Missionários, acompanhados do Superior Provincial de então, P. José Queirós de Sá. Este evento histórico teve lugar após longo tempo de reflexão de todos os Religiosos da Província, na sequência da celebração dos 500 anos de Evangelização de Angola e como resposta ao desafio lançado por João Paulo II à Igreja portuguesa aquando da sua visita a Portugal em Maio do mesmo ano: “Portugal, convido-te para a Missão”.
Na Radiografia da Missão de Kimbele, elaborada pelo P.e Porfírio Martins de Sá, nas suas “Memórias” da Missão Católica de Kimbele, lê-se, em determinado passo: A missão de Kimbele é abrangida administrativamente pelo Município do mesmo nome, com uma área de 7.228 Km2 e uma população calculada entre 120.000 habitantes. Pertence à diocese de Uíge, situando-se a 300 Km., na parte mais a nordeste da mesma Diocese e Província de Uíge, no norte do País, confinando com a República Democrática do Congo. Erecta canonicamente em 1958, esteve ao cuidado dos missionários Capuchinhos da Província de Veneza até 1981, quando, por motivos da guerra civil, foi assassinado o seu último Superior, ficando seguidamente, durante 10 anos, entregue apenas aos cuidados dos Catequistas, com assistência periódica e eventual a cargo dos missionários da missão mais próxima, Sanza Pombo, a 110 Km. de distância.”
Os Passionistas tomaram a responsabilidade da Missão de Kimbele numa altura em que a Diocese de Uíje não tinha clero suficiente para atender às suas diversas Missões) e nela permaneceram até Julho de 2003. A partir de finais de Setembro (e a pedido instante do Bispo Diocesano), passaram a sua residência para a cidade de Uíje. A primeira comunidade religiosa aí constituída estava composta pelos PP. Gabriel Querubim Moreira dos Santos (Superior) e Manuel da Conceição Henriques (Vice Superior e Ecónomo).
Em Janeiro de 2006, foi entregue aos Passionistas a Paróquia da Santa Cruz, que teve como primeiros párocos os PP. Querubim e Manuel.
Em Setembro de 2009, os Passionistas portugueses enviam em missão 4 jovens missionários, dos quais dois estão destinados ao Uíge: PP. Rui Carvalho e Alfredo Serpa.
50% da população de Angola tem menos de 15 anos, pelo que esta área reclama forte investimento e graves responsabilidades também da Igreja (também da Congregação, como não poderia deixar de ser). Respondendo a essa necessidade real os Passionistas têm levado a efeito diversos projectos de promoção e desenvolvimento da pessoa, em que o Centro Santa Cruz ocupa um lugar de destaque, pois nele passam, anualmente, mais de 50.000 pessoas. Este Centro tem diversas valências, a saber: biblioteca (única de acesso público em toda a Província); cursos de formação profissional (informática, culinária e decoração, som e vídeo, software e redes, hardware, etc.).
Queremos continuar a ser, no meio onde estamos inseridos, uma presença pastoral e formativa que deixa a o nosso ‘cunho’ como Passionistas.