Ano da Fé – “O Homem essencialmente comunitário”

No passado dia 18 de Fevereiro foi a vez do P. Porfírio orientar a nona conferência/catequese deste Ano da Fé, no salão nobre do Seminários dos Passionistas em Santa Maria da Feira com o tema “O Homem essencialmente comunitário”.

Deus, que criou o homem à sua imagem e semelhança, não quis que ele fosse um ser solitário. Efetivamente, o homem é, pela sua própria natureza, um ser social, não podendo viver nem desenvolver as suas qualidades à margem das relações com os outros. Mais: o homem precisa da sociedade para se desenvolver e para cultivar inteiramente a sua vocação humana; não pode encontrar sua própria plenitude a não ser pela entrega sincera de si mesmo aos outros… Torna-se necessário cada vez mais uma reeducação cristã para a necessidade de considerar as relações sociais como um dos principais deveres do homem contemporâneo e respeitá-las como tais.

Dá-se hoje o fenômeno chamado da “Socialização”: a multiplicação crescente das conexões mútuas e das interdependências. A crescente interdependência faz com que o bem comum se universalize cada dia mais, implicando direitos e deveres que visam todo o gênero humano… O bem comum deve ser hoje entendido como estendido às fronteiras mesmas da humanidade (“Unificação mundial”). Somos todos uma mesma família e vivemos uma mesma história, não diversificada como antigamente… Toda a ética meramente individualista deve ser superada. A aceitação das exigências sociais e a sua observância devem ser consideradas por todos como um dos primeiros deveres do homem contemporâneo…  Quanto mais se une o mundo, mais abertamente os deveres do homem superam os grupos particulares e estendem-se pouco a pouco ao mundo inteiro…. A “solidariedade” deve ser considerada por todos como um dos principais deveres do homem de hoje…

O futuro da humanidade está nas mãos daqueles que são capazes de transmitir às gerações de amanhã razões de viver e de esperar… Abrir a nossa mentalidade… Começar a pensar em chave de mundo, sentir-se irmão de todos os homens, vizinho de todos os povos, cidadãos do mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *