Congregação dos Passionistas inaugura ano jubilar especial

Lisboa, 16 Nov 2020 (Ecclesia) – A Congregação da Paixão de Jesus Cristo (Passionistas), inaugura, dia 22 de novembro, o ano jubilar especial que tem como tema «Renovar a nossa missão: gratidão, profecia e esperança» e se prolonga até 01 de janeiro de 2022.

“Desde há 300 anos, os Passionistas anunciam a Paixão de Jesus Cristo como a maior expressão do amor de Jesus por toda a humanidade e pela criação”, realça uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

Este domingo (22 de novembro), às 10h30, em Roma, tem início o Jubileu Passionista com a abertura da Porta Santa, seguida da celebração eucarística, presidida pelo Cardeal Pietro Parolin, Secretário de Estado do Vaticano, lê-se.

A cerimónia será transmitida em streaming através dos canais do Facebook e Youtube “passiochristi”, na página web de TV2000.

“Será uma ótima oportunidade para aprofundarmos o nosso compromisso de manter viva a memória da Paixão de Jesus como a maior expressão do amor de Deus para com todos os povos e toda a criação, e encontrar novas formas para promover a Memória da Paixão do Senhor (Memoria Passionis)”, disse o Superior Geral dos Passionistas, padre Joachim Rego.

Durante o Jubileu não estão previstos grandes eventos, com exceção do congresso Internacional, sujeito ao tema “A sabedoria da Cruz num mundo plural”, que terá lugar em Roma, na Universidade Lateranense, entre o dia 21 e 24 de novembro de 2021.

A data do início do jubileu, 22 de novembro de 2020, faz referência ao dia em que Paulo Danei, um jovem de 26 anos, abandonou a atividade comercial e começou um retiro de 40 dias num pequeno compartimento da Igreja de São Carlos, em Castellazzo.

Durante este tempo, escreveu as Regras da futura Congregação e sentiu-se inspirado a “reunir companheiros para partilhar e anunciar ao mundo o amor do Crucificado”.

O retiro terminou a 1 de janeiro de 1721, Daí, as datas do Jubileu Passionista: 22 de novembro de 2020 a 1 de janeiro de 2022.

A Congregação da Paixão de Jesus Cristo foi fundada em 1720 por Paulo Danei, hoje São Paulo da Cruz, um homem inspirado para curar os males do mundo, dando testemunho e proclamando que “A Paixão de Jesus é a maior e mais maravilhosa obra do amor divino”.

Os Passionistas são uma Congregação missionária e São Paulo da Cruz fundou também a Congregação das Monjas Passionistas (contemplativas).

Atualmente, os Passionistas são 1903 religiosos, presentes em 63 países dos cinco continentes.

Fonte: Agencia Ecclesia

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on print
Print
Share on email
Email