Há mais alegria em dar(-se)!

DSC 0089

Com este lema proposto para toda a Diocese do Porto, nós, a Catequese do núcleo dos Passionistas de Santa Maria da Feira, agarramos o desafio de conhecermos melhor a alegria de (Se) dar durante a caminhada de Advento até ao Natal!

Tudo começou com uma “nova” Lista de Natal que foi motivo de reflexão para todos e que distribuímos pela cidade. Nela pudemos descobrir aquilo que é mais importante para que haja verdadeiro Natal e que nos leva ao encontro dos outros, num espírito de partilha e caridade.

Aumentando a nossa confiança em Deus – e também nos outros, olhamos à nossa volta com outros olhos e, tal como Jesus, descobrimos necessidades e dificuldades que afligem os nossos irmãos. Assim, fizemos uma recolha de alimentos para o Banco Alimentar da Associação Rosto Solidário, que estava bastante carenciado, e num “belo gesto solidário”, chegamos quase aos 800Kg de alimentos. Mas quisemos pensar também mais longe e unir-nos aos “nossos” missionários que trabalham em Angola: num ambiente de descontração e alegria no Estádio do Feirense, confraternizando com alguns jogadores da equipa principal e correndo relva fora atrás daquela mágica bola, oferecemos os nossos donativos para a Missão. Quando temos gestos de pura bondade a nossa alma fica cheia!

No último sábado de Advento a nossa igreja foi pequena para tanta gente! Apesar da ameaça de mau tempo todos quisemos abrir o nosso coração para o acolhimento do Menino que estava para chegar! E, no fim da celebração, já entre pingos de chuva que depois se tornariam em verdadeira chuva, percorremos algumas ruas da nossa cidade, guiados pela Luz das nossas estrelas! No final fomos presenteados por mensagens de incentivo de gente que “gasta” as suas vidas a servir os outros com alegria! Não podemos deixar de lhes dizer, com muita gratidão, “Obrigado”! Obrigado, pela vossa disponibilidade em gravar a mensagem, mas sobretudo, obrigado pelo vosso maravilhoso exemplo de entrega aos outros!

Não admira por isso que no dia 24, na missa da noite, estivesse muita gente na igreja, deixando o conforto das suas casas, para celebrarem o Nascimento de Jesus na mais extrema pobreza, pois “não havia lugar para Ele”, mas disposto a dar-Se totalmente a nós para que pudéssemos descobrir o verdadeiro sentido da vida: “Há mais alegria em dar(-Se)!”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *