Ordenação Diaconal de Alfredo Serpa

No passado Domingo, dia 16 de Outubro, na Capela do Seminário de Uíje, Angola, o Co. Irmão Alfredo Serpa foi ordenado Diácono pelo Bispo de Uíje, D. Emílio Sumbelelo. (fotos) Em pleno mês das Missões o Alfredo Serpa pediu ser ordenado Diácono no país onde actualmente vive como missionário e escolheu como lema “Para mim, viver é Cristo” (Fil 1, 21).

Transcrevemos um excerto da homilia de D. Emílio dirigida ao Co. Irmão Serpa:

“Caro dilecto filho, Serpa, agora me dirijo a ti! És ordenado diácono num mês especial para a Igreja: “Outubro mês das Missões”! És ordenado em terras de missão, como um dia se chamava, se bem que hoje a missão tem como fronteira «até aos confins do mundo». E exercerás o teu ministério numa congregação “missionária”. (…)
A origem da missão está em Deus Pai que envia os seus servos a trabalharem e recolherem os frutos. Envia também seu Filho único para a salvação dos homens e do mundo, restabelecimento da paz e comunhão com Deus e formação de uma comunidade fraterna entre os homens. A função da Igreja é aquela de realizar a missão de Jesus. (AG 5). Assim como Jesus recebeu do Pai todo poder, nós também recebemos dele e da Igreja o poder de realizar a missão.
E tu também, caríssimo filho, estás incluído neste “nós”, especialmente com a recepção do primeiro grau da ordem sacerdotal: o diaconado. (…) Para concretizares a missão, deves ser mediador entre Deus e os homens, ser fiel à doutrina do Pai e evangelizar com gestos e palavras em direcção aos pobres e aos excluídos da sociedade, libertando-os de tudo que os oprime. Filho, o sacerdote contemporâneo deve ser pequeno e grande, nobre de espírito como um rei, simples e natural como um camponês. A esperança do mundo é poder contar, também no futuro, com o amor de um coração sacerdotal límpido, forte e compassivo, livre e amável, generoso e fiel.
És ordenado em terra de missão: em Angola, na diocese do Uíje, onde irás exercer o teu ministério diaconal, até quando os teus superiores te propuserem para o presbiterado. (…)
Assumir os desafios e o compromisso de ser missionário, é ter a missão não somente de levar algo, mas também de descobrir, não somente de dar, mas também de receber; não somente conquistar, mas partilhar e buscar juntos sempre a verdade em Cristo através de nossos gestos, atitudes e actos. A missão nos permite criar novos laços, novas relações, um novo jeito de olhar a vida, um novo jeito de ser Igreja e de sentir com a Igreja. Nesta igreja com um rosto: igreja particular do Uíje! (…)
Exercerás o teu ministério numa congregação “missionária”. Faz-me repassar diante de mim a insistência de Jesus: «a messe é grande e os operários são poucos, pedi ao dono da messe que envie operários pela sua messe»! Será uma das tuas obrigações: rezar também pelas vocações, para a tua congregação e sobretudo para toda a Igreja, sejam elas sacerdotais, como também religiosas. (…)
Dilecto filho Serpa, procura durante o teu ministério diaconal e em toda a tua vida, ser modelo, de tal modo que os jovens olhando para ti, tenham coragem e alegria de se consagrarem de todo o coração à missão.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *