Ordenação diaconal do Pedro Lucau Canganjo Massuca

“Pela caridade, colocai-vos ao serviço uns dos outros.” (Gal 5,13)

 

No passado dia 21 de Maio de 2023, na casa Provincial da Scala Santa, em Itália, o religioso Pedro Lucau Canganjo Massuca, foi ordenado Diácono. Pela imposição das mãos de Sua Eminência, o Cardeal Dom João Braz de Aviz, vê-se concretizado um desejo há tanto tempo esperado: o Pedro é o primeiro religioso passionista angolano a ser ordenado diácono. Passados 32 anos da chegada dos missionários passionistas portugueses a Angola (1991), o Pedro é o primeiro religioso passionista angolano a ser ordenado diácono, veem-se agora os frutos de uma extenuante e perseverante labuta.

Depois e ter frequentado o postulantado em Angola, o Pedro prosseguiu o seu percurso vocacional partindo para o outro lado do oceano, vivendo o seu Noviciado e Estudantado no Brasil. Ao terminar o seu percurso formativo inicial, aceitou um novo desafio: viajar até ao coração do carisma passionista (Itália), aprendendo uma nova língua e vivendo numa nova cultura. Após professar perpetuamente o carisma passionista, o Pedro faz-se o primeiro de tantos (ou assim esperamos!) no serviço ministerial. E como nos ensina o Evangelho que os primeiros serão os últimos, assim também o Pedro, deste modo, faz-se último, tendo no coração o desejo de partilhar com os seus irmãos nativos a alegria que floresce no seu coração.

Numa cerimónia muito sentida foi notável e enriquecedora a presença da comunidade africana na capital italiana e os vários membros da diocese de Roma que se uniram intimamente a esta alegre celebração. Jubiloso e contente, o Pedro prostrou-se no centro de tão entusiasmada assembleia, entre a qual os seus familiares, apesar de não presentes fisicamente. Seguiu-se um festivo momento de fraternidade na qual os presentes partilharam a alegria da vida dada a Cristo.

A esta felicidade junta-se toda a Província Passionista de Maria apresentada no Templo, com o coração e com a oração, pedindo ao Senhor trabalhadores para a Sua messe, para que este não seja o último, mas o primeiro de muitos!

Facebook
Twitter
WhatsApp
Print
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *