Semana Santa pelo Grupo Gólgota (Santa Maria da Feira)

De 14 a 20 de Abril de 2014 decorreu mais uma Semana Santa em Santa Maria da Feira com organização e produção da Feira Viva, da Câmara Municipal e do Grupo Gólgota.

Este ano, houve como novidade, o Concerto Encenado, As sete palavras de Cristo na Cruz, de Charles Gounod, interpretado pelo Coro do Mosteiro de Grijó e encenado pelo Grupo Gólgota. O concerto teve dois momentos: um no Mosteiro de Grijó, no dia 5 e um outro no dia 14 de abril, na Igreja dos Passionistas em Santa Maria da Feira.

Foi uma experiência única já que a música e o teatro, na vivência da Paixão de Cristo se entrelaçaram fazendo vibrar público, músicos e atores. Os próprios elementos do coro confidenciaram que nunca a música por eles cantada teve uma dimensão tão profunda.

A Entrada Triunfal de Jesus em Jerusalém, decorreu no Domingo de Ramos, numa encenação festiva e alegre, não fossem as crianças e os jovens uns dos elementos essenciais. A propósito desta encenação, no Jornal de Notícias do dia 13 de abril, mencionavase que esta recriação foi fiel àquele que é um dos mais marcantes episódios bíblicos do Novo Testamento.

Na Quarta-feira Santa, nos belíssimos claustros da Igreja Matriz e jardins circundantes, representaramse os quadros correspondentes à Última Ceia de Jesus, a Agonia no Jardim das Oliveiras e o Julgamento diante do Sinédrio. Com cada vez mais adesão do público, que considera estes momentos como uma aula de catequese ao vivo. Esse dia foi de luto para o grupo, pelo falecimento de um dos seus membros mais queridos, a D. Maria de Fátima Maçãs que confecionou muitas das roupas usadas pelos nossos atores. Para assinalar esse acontecimento de pesar alguns dos elementos levaram uma banda negra.

A Via Sacra encenada, na Sextafeira Santa, representa a nossa essência enquanto grupo da expressão cultural e social da espiritualidade passionista, mais que uma encenação é um ato de devoção e este ano foi acompanhada por milhares de pessoas, desde o antigo tribunal da Feira até ao Castelo. Foi comovente ver os rostos de veneração que seguiam Cristo carregando a Sua Cruz, como se as dores de cada um fossem somatizadas naquele ato.

A Semana Santa da Feira de 2014 referida como recriação histórica digna do cinema, pelo periódico acima citado, não é apenas uma representação histórica mas uma vivência interior dando cumprimento à missão do Grupo Gólgota de levar uma mensagem de envangelização através do teatro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *