Peregrinação Passionista a Fátima 2022

No passado dia 17 de setembro realizou-se a XI Peregrinação da Família Passionista ao Santuário de Fátima. Sob o lema: “Na Cruz, uma só família … a família Passionista”, a nossa grande família, que a cada ano junta mais corações foi ao encontro do abraço ternurento da “Mãe”.

Dos vários recantos de Portugal, partimos e marcamos encontro no parque no14. Chegados ao ponto de encontro, nos cerca de 60 autocarros e viaturas particulares deixamos ainda no recanto do parque a nossa pintura de família, sim nós, caro leitor, através dos nossos sorrisos, dos nossos olhares que brilhavam pelo feliz reencontro daqueles que talvez não víamos há muito tempo, das nossas palavras trocadas que nos cravejaram o coração, das nossas pegadas dispostas a caminhar e das nossas mãos dispostas a partilhar, a abraçar … a amar.

Partimos após este belo momento para a via-sacra nos Valinhos e rumamos até ao calvário-húngaro. Ainda que em silêncio, senti-mos o palpitar dos corações, o som das pegadas que se arrastavam lentamente e relembravam aquelas deixadas por aquele que nos Ama, o doce sabor dos olhares que se cruzavam entre as pessoas… o sentimento, a tranquilidade, a paz e a memória fizeram-nos aproximar do rosto de Cristo. Chegados ao calvário, tínhamos à nossa espera o grupo dos Devotos que nos acolheu com as passadas de Cristo e logo de seguida, uma catequese sobre o tema das Jornadas Mundiais da Juventude: “Maria levantou-se e partiu apressadamente (Lc 1, 39)” que foi realizada pelo Co. Humberto Silva. Uma catequese que sobretudo assentou na explicação das palavras do Hino das JMJ e nos convidou a envolver todos os nossos sentidos: os ouvidos para sentir a doce melodia e os versos da música; as mãos e os pés para demonstramos a nossa “pressa” de abraçar e sentir Cristo e também para nos abanarmos na dança; por fim, e mais importante, o nosso coração aberto para entender o que Cristo nos quis dizer a cada palavra e para agradecer.

Dizem que nem “só de pão vive o homem”, mas quando a barriga começa a fazer barulho há que “petiscar” alguma coisa, por isso partimos para o almoço, onde revelamos novamente a nossa identidade, com isto quero dizer as nossas raízes: desde as marmitas, passando pelas toalhas, pelos tachos, pelos salgadinhos, … mas também, neste momento, “pincelamos” com outros valores a nossa pintura comum: com gestos de partilha, novos sorrisos e com gargalhadas.

Barriga cheia e compradas as recordações partimos para a “capelinha” que muito nos diz (Capela das Aparições) para termos uma conversa com Maria, concretizada através da recitação do terço pelos vários membros dos grupos da nossa família.

Da parte da tarde foi celebrada a eucaristia na Igreja da Santíssima Trindade presidida pelo P. César e concelebrada pelos sacerdotes passionistas das diversas comunidades de Portugal e Angola. Com uma assembleia numerosa preenchida pelas cores do lenço da peregrinação, a eucaristia decorreu com espírito vivo e dinâmico juntamente com a participação dos diversos grupos pastorais da FP. No final, houve a oportunidade de escutar as palavras do Superior Provincial, P. Luigi Vaninetti, e do Consultor Provincial de Portugal, P. Paulo Correia, que fizeram chegar até Fátima uma mensagem escrita, uma vez que decorria o Sínodo Geral da Congregação em Roma.

Findada a celebração, cada um dirigiu-se ao respetivo autocarro para regressar a casa depois de um dia de convívio na espiritualidade Passionista. Mas a peregrinação não ficou por aqui. Seguidamente decorreu a programação jovem que se prolongou até domingo.

Esta dinâmica contou com a organização do Co. Humberto Silva, que proporcionou um programa dirigido a um grupo de jovens. No fundo, o que se pretendeu aqui foi estender a peregrinação aos jovens e envolvê-los no espírito Passionista juntamente com Nossa Senhora. No final da tarde de sábado realizou-se um jogo para que cada um se apresentasse. Depois, fomos restabelecer as forças na hora do jantar para se prepararem para o momento seguinte. Já de noite, decorreu a procissão de velas no recinto do Santuário. Cada um de nós, acompanhado da sua vela rezou o terço e pôs-se a caminho com Maria. No final fomos visitar a estátua de São Paulo da Cruz, fundador dos Passionistas, presente nas laterais do recinto. O domingo começou cedo no Carmelo de São José das Irmãs Carmelitas Descalças com a participação na oração de laudes. Seguiu-se o pequeno-almoço e a visita à comunidade Cenáculo residente em Fátima. Esta comunidade caracteriza-se pela vivência intensa da vida cristã através da vida comunitária: oração e trabalho (“ora et labora”), sacrifício, amizade e partilha sincera. Depois do almoço foi o momento de visitar a Pia do Urso, no distrito de Leiria. Este local corresponde a um parque temático ecológico, com um percurso pedestre composto por várias estações interativas e lúdicas rodeado de flora e fauna e de diversas formações geológicas – as pias. Diz-se que, antigamente, nestas pias os ursos vinham saciar a sua sede.

Terminada a visita foi tempo de regressarmos a casa felizes e inspirados depois de uma peregrinação que não só nos encheu as medidas como o espírito, através da Congregação Passionista e de Nossa Senhora de Fátima, padroeira dos Passionistas de Portugal.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on print
Print
Share on email
Email

Deixe um comentário